Cirurgia plástica: Solução ou deformação?

Aplicação de botox na mulher

Existe limite para a cirurgia plástica? Quais as cirurgias mais comuns no sexo feminino? Este artigo tem como objectivo fornecer algumas informações úteis sobre a cirurgia plástica nas mulheres.

Existem vários tipos de cirurgia plástica, podendo destacar-se a invasiva e a não-invasiva ou minimamente invasiva. Dentro do primeiro tipo, são comuns no sexo feminino a lipoaspiração, a abdominoplastia, o aumento ou redução dos seios, cirurgias faciais correctivas ao nariz, queixo, entre outras. Incluem-se também nas cirurgias invasivas, aquelas que estão clinicamente indicadas para tratar defeitos congénitos ou deformações após acidentes. Na cirurgia minimamente invasiva são adoptados procedimentos mais simples que visam diminuir o tempo de recuperação, acarretam menos dor e reduzem a formação de tecido cicatricial. Neste sentido, podemos considerar como mais frequentes a aplicação de botox, os tratamentos a laser e a cirurgia com recurso a técnicas não invasivas, como a laparoscopia.

Existe necessidade para a cirurgia plástica?

A necessidade deste tipo de cirurgias depende de cada um. Na maioria das vezes estas servem para retardar o processo de envelhecimento e proporcionar uma imagem mias jovem à medida que os anos passam. Porém, a cirurgia plástica é muitas vezes realizada por necessidade médica de forma a poder melhorar outras condições de saúde presentes.

É sim importante ressalvar a necessidade deste tipo de tratamentos à medida que o corpo envelhece. Vivemos numa sociedade cada vez mais canalizada para a beleza física e conceitos como a magreza extrema ou determinadas tendências a nível físico, são cada vez mais parte do dia-a-dia de muitas mulheres, aumentando a procura por este tipo de tratamentos e condicionado a percepção da sua imagem corporal. Cabe à própria pessoa e ao seu médico assistente avaliar a necessidade deste tipo de cirurgias e perceber o risco/benefício que estas podem trazer às suas vidas. Ainda que cada vez mais sejam comuns os procedimentos não invasivos, uma grande parte das cirurgias plásticas é feita sob o efeito de anestesia geral, o que só por si acarreta certos riscos. É também necessário reconhecer que o processo de envelhecimento é inevitável e ainda que hajam formas de o contornar, este não pode ser evitado de todo. Outra questão importante é a ausência de um limite por parte de algumas pessoas que se submetem a este tipo de cirurgias e dos médicos que as realizam. Obviamente que a maioria de nós prefere ter uma aparência mais jovem, esteticamente agradável e como se costuma dizer, com tudo no sítio. Mas até que ponto a cirurgia plástica é a solução? Qual a aparência ideal e quais os meios para a obter? Não são raros os casos de pessoas deformadas pela cirurgia plástica que ao invés de obterem uma imagem natural e jovem, se afastam daquilo que é uma aparência normal para o ser humano e desenvolvem muitas vezes outros problemas de saúde associados a este extremismo de não saber parar no que diz respeito à cirurgia plástica.

Existe um número limite de cirurgias plásticas?

Felizmente ou infelizmente cabe a cada um determinar este limite, muitas vezes condicionado por factores financeiros. Acima de tudo temos de viver bem com a nossa imagem corporal, independentemente de recorrermos à cirurgia plástica ou não. Interessa porém, não banalizar este tipo de práticas nem centrar o universo à sua volta. A cirurgia plástica existe, pode trazer um grande benefício estético, mas também pode acarretar riscos, há que considerar os dois lados da balança antes de tomar uma decisão, seja ela qual for. A recolha de informação acerca do procedimento é importante e não deve ser descurada, nomeadamente a informação relativa aos seus riscos, tempo de recuperação e grau de imobilização.

Dia dos Namorados sozinha?

mulher-balao-coracao

Está a aproximar-se aquele dia do ano em que a maioria das pessoas se não está apaixonada anseia por estar, nem que seja para não passar o serão sozinha a imaginar o quanto os casais amigos que conhece se estão a divertir. Não precisa de ser assim. Ainda que em Portugal se chame ao dia 14 de Fevereiro “Dia dos Namorados”, a verdade é que neste dia se celebra em todo o mundo o dia de S. Valentim, que segundo a história, pouco tem a ver com romance, mas sim com amor. Valentim foi condenado à morte por casar secretamente pela igreja cristã jovens casais, contra a vontade do imperador romano Claudius II, pelo que começou a ser conhecido como o padroeiro do amor, celebrando-se este dia em honra da sua coragem.

Nos dias de hoje, a situação muda um bocadinho de figura, sendo este dia muitas das vezes marcado pelo consumismo e pelo romance desenfreado que por vezes esmorece nos restantes dias do ano. Estar sozinha no dia dos namorados pode não ser o pior que lhe podia acontecer. Foque-se no verdadeiro sentido deste dia e celebre-o com quem mais ama, mesmo que essa pessoa não seja a sua cara metade.

É um dia complicado para marcar mesa em restaurantes, sendo que os preços estão muitas vezes inflacionados devido à grande afluência, mas porque não combinar um jantar com amigas e amigos, independentemente do estado civil de cada um e aproveitar a diversão? Este ano o dia dos namorados calha a uma sexta, pelo que estar sozinha não pode ser desculpa para não o celebrar. Família, amigos, colegas são bem-vindos desde que se sinta bem e esteja pronta para celebrar este dia. Porém, se não está para grandes celebrações, também não há problema. Este dia do ano pode passar tão despercebido como outro qualquer, sem festejos à mistura, é uma opção de cada um e deve ser respeitada, não há que estranhar o clima de romance fervoroso de algumas pessoas, nem apunhalar os primeiros pombinhos que se atravessarem no caminho.

Pilates : Tonificar o corpo feminino

O pilates traduz-se por um conjunto de exercícios que envolve o fortalecimento dos músculos do corpo, melhorando o equilíbrio, a flexibilidade e a postura. Apesar de não estar apenas indicado ao sexo feminino, é nas mulheres que o pilates encontra mais adeptas, sendo ideal para tonificar o corpo ou em recuperações motoras.

Esta modalidade é capaz de envolver outro tipo de exercícios como as artes marciais e o yoga, tendose tornado popular entre os dançarinos profissionais na recuperação de lesões. Desde o seu início em 1900, a popularidade do pilates tem vindo a crescer, com inúmeros adeptos em todo o mundo.

Benefícios

Os benefícios do pilates são vastos, tendo nos últimos anos sido submetido a várias revisões científicas para comprovar a sua eficácia. Por ter na sua base o yoga, o pilates ajuda a aliviar a tensão e o stress do dia-a-dia, reduzindo sintomas característicos como as dores nas costas e no pescoço.

Apesar de os benefícios do pilates na perda de peso não poderem ser totalmente comprovados, alguma evidência demonstra que a realização destes exercícios com uma dieta equilibrada e exercício aeróbico, contribui para uma aparência mais dinâmica e jovial.

Por onde começar?

Se optar pelo pilates é uma grande decisão, começar por alguns exercícios em casa pode ser a solução.

Pilates 1 pilates 2 pilates 3

SOS Dieta Depois das Festas

Balança e pantufas de natal

O Natal e o Ano Novo são quase sempre momentos especiais, marcados não só pelas boas companhias, mas também por uma boa mesa. Se estes dois dias não passam despercebidos para a maioria das pessoas, os quilinhos a mais em Janeiro também não. Outra coisa não era de esperar, não fosse a distância entre o Natal e o Ano Novo de apenas 5 dias, nos quais começar uma dieta não é de todo possível.

Janeiro é assim um mês de recuperação, não só pelo regresso à vida profissional activa (não vale a pena esconder que a última semana do ano foi a pastelar), bem como a uma boa rotina alimentar e de exercício. Ficam a lista das alterações que vale a pena acrescentar ao dia-a-dia, ainda que não sejam inteiramente uma novidade, mas que podem ter ficado esquecidas com tamanha euforia natalícia:

  • Beber pelos menos 1,5 litros de água (Beber água faz toda a diferença, principalmente após uma época onde as bebidas alcoólicas são uma constante. As pernas cansadas agradecem.)
  • Comer 5 peças de frutas/vegetais (Não vale a pena referir que todos aqueles fritos de Natal não trazem vitaminas nenhumas e o corpo precisa delas para estar saudável)
  • Dormir 8 horas diárias (O Natal e o Ano Novo não são só inimigos da barriga, mas também da falta de descanso, que se relaciona diretamente com o aumento de peso. Uma boa rotina de sono é fundamental para que o corpo se mantenha equilibrado.)
  • Exercício (Nem a época festiva nem o mau tempo têm ajudado, mas a verdade é que estes servem mais como uma desculpa do que outra coisa. Trocar o elevador pelas escadas não custa assim tanto e exercícios como os abdominais, os agachamentos e as flexões podem ser feitos em casa).

 

Hormonas Assassinas

Mulher com dores na cama

O mau humor, o cansaço e muitos outros estados de espírito são culpa de alguém, não de nós próprias claro está, mas sim de algo que foge ao nosso controlo, as chamadas hormonas. As hormonas femininas têm um grande impacto na mulher, principalmente em determinadas alturas da vida como a adolescência e a gravidez, ou até mesmo durante o ciclo menstrual, fazendo com que muitas de nós sintam os sintomas da tão falada TPM (tensão pré-menstrual). A tensão pré-menstrual não é mais do que um conjunto de sintomas que a mulher experiencia dias antes da chegada do período, entre os quais se incluem sintomas psicológicos e físicos. Os principais sintomas psicológicos são a irritabilidade, as alterações de humor, a perda de confiança, o choro sem razão aparente, a agressão, a falta de concentração e o cansaço. Em termos físicos é comum a sensibilidade mamária, o inchaço abdominal, as dores de cabeça ou enxaquecas.

Como evitar a TPM?

Apesar de a TPM se relacionar com as flutuações hormonais durante o ciclo menstrual, o motivo porque algumas mulheres sofrem mais sintomas do que outras não está bem explicado. Os sintomas mais acentuados podem dever-se a níveis mais baixos da substância serotonina no cérebro, que pode justificar sintomas como as alterações de humor.

Existem tratamentos para a TPM, principalmente quando os sintomas são muito exuberantes e tornam difícil o dia-a-dia da mulher. Fazer algumas alterações ao estilo de vida, como adoptar uma dieta equilibrada e uma rotina de exercício físico, podem ajudar a melhorar a intensidade dos sintomas, bem como deixar de fumar e reduzir o consumo de cafeína ou de álcool.

Como já referido, em casos mais extremos pode recorrer-se a tratamentos. Os tratamentos mais comuns incluem suplementos de vitamina B6, diuréticos, antidepressivos e combinações hormonais, como por exemplo a pílula contraceptiva. Procurar ajuda médica é o primeiro passo, caso as alterações ao estilo de vida não surtam um efeito suficiente.

Violência Doméstica

Violência doméstica na mulher

A violência doméstica é infelizmente um assunto que permanece no quotidiano da vida de muitas mulheres, enquanto que noutras, a atenção desperta quando aparecem nos jornais ou revistas casos de famosas que sofreram agressões por parte dos maridos ou companheiros. A situação mais recente envolve a apresentadora Bárbara Guimarães e o marido, hoje ex-marido, Manuel Maria Carrilho e tem vindo a preencher as manchetes dos jornais nas últimas semanas. Apesar de ser uma situação triste e complicada, ainda mais por o casal ter duas crianças pequenas, abordar o tema da violência doméstica continua a a ser necessário, ainda que a situação da Bárbara possa não refletir a realidade de muitas mulheres no nosso país. Apesar de não ser assim tão rara na alta sociedade e poder afetar mulheres com algumas posses ou instruídas academicamente, a maioria dos casos de violência doméstica ocorrem no seio de famílias com poucos recursos em que um ou ambos os elementos do casal estão desempregados, onde existem problemas financeiros e muitas vezes de alcoolismo e consumo de drogas. A maioria das mulheres que sofrem estes abusos não tem a quem recorrer e se tem, a vergonha e o medo de represálias fala muitas vezes mais alto, permanecendo no silêncio durante anos ou até mesmo durante uma vida. São muitos os casos de violência doméstica que acabam numa fatalidade, quando a ajuda chega tarde demais…

Se sofre de violência doméstica ou conhece alguém que sofra, faça queixa. Contacte a polícia ou a Associação de Apoio À Vítima e tente acabar com esta situação. O medo da tentativa ser infrutífera e que possa levar a represálias, não pode ser mais forte que denunciar estas situações, independentemente do estatuto social. Estar atenta a alterações de comportamento por parte do homem durante o relacionamento é também muito importante para evitar que a situação se agrave. Atitudes bruscas, violência verbal ou física não são toleráveis numa relação a menos que ambos os membros do casal concordem com isso e não se sintam abusados durante as agressões. Não tolere o segundo o abuso. Se sofreu de violência doméstica uma vez, não queira que a situação se repita, as promessas leva-as o vento e o mais provável é que volte a sofrer agressões no futuro. Pense em si, antes de mais e ponha um ponto final na situação enquanto tem forças e apoio para lutar contra ela.

Contactos úteis:

30 de Outubro- Dia da Prevenção do Cancro da Mama

Outubro mês da prevenção do cancro da mama

Hoje, dia 30 de Outubro, é o dia da prevenção do cancro da mama, como tal, nada melhor do que relembrar alguns cuidados que todas as mulheres devem ter em conta neste e nos restantes dias do ano.

O cancro da mama mata 1500 mulheres portuguesas todos os anos e apesar de não poder ser prevenido completamente, existem alguns cuidados que todas nós podemos ter no nosso quotidiano, para que caso seja notada qualquer alteração, esta seja avaliada precocemente e não evolua para algo mais grave.

O diagnóstico precoce salva vidas e ainda que 10% dos casos de cancro da mama tenham predisposição genética, ter alguma familiar próxima que sofra ou tenha sofrido desta doença, não obriga a que a mulher venha a sofrer da mesma. As mulheres nesta situação não devem sofrer por antecipação e levar a sua vida com ansiedade à espera que o cancro apareça. Devem sim, tal como todas as mulheres, prevenir-se! Esta prevenção passa por simples cuidados que podem fazer toda a diferença. Esteja atenta a qualquer alteração nas suas mamas, quer seja em termos de volume, textura, presença de saliências ou corrimento a nível do mamilo e comunique-a ao seu médico o mais cedo possível. Fazer o auto-exame da mama com alguma regularidade e não esquecer áreas como as axilas é também importante na detecção de qualquer alteração. A partir dos 40-45 anos, desde que não aconselhado mais cedo pelo seu médico, todas as mulheres devem fazer mamografias periódicas sem excepção. A periodicidade das mamografias pode variar de mulher para mulher, de acordo com as indicações do médico assistente. Existem vários factores que aumentam o risco do cancro da mama, porém, cada mulher é uma mulher e situar-se num dos grupos com maior prevalência, não quer dizer que venha a sofrer de cancro da mama. Olhe por si e pela sua saúde e previna-se contra esta doença que tanto impacto tem na vida da mulher, assombrando a sua feminilidade.

Informações úteis:

Liga Portuguesa Contra o Cancro